Dor torácica: fique atento

« MAIS NOTÍCIAS


07/10/2015

A dor torácica (dor no peito) pode ser causada por inúmeras condições clínicas. Desde contraturas musculares até enfarto do miocárdio. Mas seja qual for a intensidades da dor, mesmo que pequena, é importante procurar um médico para diagnosticar a causa. 

È mais comum que a dor seja causada por doenças pulmonares, ósteo-musculares como contratura dos músculos, inflamações nas articulações das costelas com o osso esterno e inflamações nos nervos que se localizam entre as costelas (herpes zoster). Também podem ser causado por doenças no aparelho digestivo entre o refluxo, úlcera, espasmo do esôfago e gastrite. 

A dor torácica mais temida é a decorrente de obstrução das artérias coronárias que nutrem o coração. A principal causa dessa obstrução é a aterosclerose, em outras palavras, o depósito de gordura e outras substâncias na parede das artérias, resultando no infarto do miocárdio ou angina do peito. A porcentagem de pacientes com essa dor que procuram um ambulatório é de 5 a 15%.

Os sintomas que indicam que a dor seja de origem cardíaca são dor ou pressão no peito que pode irradiar-se pelas costas, ombros, braços e pescoço. Mesmo que passe rapidamente deve-se procurar um médico, de preferência um cardiologista. Outros sintomas são tontura, falta de ar, suor em excesso, aumento da freqüência cardíaca, náuseas e vômito. Mal estar súbito mesmo com ausência de dor ou desconforto no peito também é motivo de alerta.

Fumantes, diabéticos, pessoas com colesterol alto, que sofrem pressão alta (hipertensos) são indivíduos com fatores de risco elevado.  Os idosos, com mais de 65 anos, também estão entre os que têm chance de sofrerem ataque cardíaco. No caso, os principais sintomas são “falta de ar de início súbito” ou “mal-estar súbito”.

Tanto as mulheres como os homens correm os mesmo riscos de ter doenças cardiovasculares. Portanto, é bom evitar os fatores de risco, mudar hábitos e começar a ter uma vida mais saudável.