Insônia: conheça os sintomas e os riscos

« MAIS NOTÍCIAS


21/10/2015

Recomenda-se procurar um médico, quando a pessoa tiver dificuldade para dormir bem por mais de um mês, sonolência durante o dia ou se ronca muito alto e com períodos de pausa na respiração. 

Irritabilidade, sonolência, dificuldade de concentração e, também, dor de cabeça são algumas consequências de uma noite mal dormida. Esses sintomas podem prejudicar muito a vida de quem sofre insônia. Acidentes de carro, perda de produtividade no trabalho são apenas alguns exemplos.

Existem diferentes tipos de insônia, por isso só um especialista pode diagnosticar e prescrever um tratamento adequado. A insônia transitória consiste na incapacidade de dormir bem durante várias noites (geralmente é desencadeada por excitação ou estresse). A insônia de curto período ocorre após períodos repetitivos de estresse no trabalho ou em casa e pode resultar em duas ou três semanas de noites mal dormidas. A insônia crônica é caracterizada por sono inadequado durante muitos meses.

A polissonografia é um dos exames mais utilizados para o diagnóstico dos diferentes distúrbios do sono, pois permite identificar alterações intrínsecas do sono ou relacionadas a ele.

Dicas para uma boa noite de sono:
- pratique rituais relaxantes antes de dormir, tais como: tomar um gostoso banho morno, fazer lanches leves ou ainda ler por uns 10 minutos antes de dormir;                                                                  
- só vá para a cama quando estiver com sono e acorde nos mesmos horários. Ou seja, mantenha uma rotina;                                                        - não é recomendada a prática de exercícios físicos muito intensos à noite, consumir estimulantes como a cafeína e álcool e fumar.

É bom lembrar que o número de horas de sono necessárias para cada pessoa segue um ritmo individual. Alguns necessitam menos horas de sono do que outros. Dormir oito horas não é obrigatório e nem garantia de qualidade de sono em geral.