Diagnósticos antes dos sintomas aparecerem.


29 de maio de 2018

“ ”

Diagnósticos antes dos sintomas aparecerem.

A Tomografia (TC) e a Ressonância (RM) são equipamentos de diagnóstico por imagem relativamente novos na história da medicina. Entre muitas das suas contribuições está o fato de suas imagens serem de alta definição e conseguirem detectar muitas doenças no seu início. Dr. Euclides Berti Passetto, da Documenta, explica: “O amplo uso desses métodos de imagens pode permitir a detecção precoce de doenças que são silenciosas no seu início, ou seja, que ainda não causam sintomas que levariam o paciente a um consultório. Aneurismas são algumas das alterações que a TC e a RM são capazes de detectar, assim como vários tipos de câncer. Os métodos ainda permitem estudo detalhado da pelve feminina, das malformações vasculares e das alterações de cartilagem, muito comuns em doenças ortopédicos”. 

O médico acrescenta outras contribuições destes equipamentos para a medicina. “A TC e a RM possibilitam diagnósticos mais acurados, baseados na capacidade de informar a anatomia exata e, além disso, fornecem aspectos da lesão que permitem caracterizá-la e em alguns casos eliminando a necessidade de procedimentos invasivos, tais como biópsias, punções e, até mesmo, cirurgias”. 

Para realização de alguns exames de tomografia é necessária a utilização de contrastes iodados por via venosa. Devido à possibilidade de reação alérgica que o uso destes contrastes pode causar,  é importante responder corretamente às questões levantadas pelo médico que vai realizar o exame. Pacientes também devem informar corretamente se está fazendo uso de medicamentos. 
Os que fazem uso de alguns tipos de hipoglicemiantes (diabéticos), por exemplo, podem ter que suspender a medicação. Diferente da Tomografia, a Ressonância não emite radiação ionizante, o que a torna um método diagnóstico seguro para grávidas após o primeiro trimestre e crianças. É contraindicada para portadores de certos tipos de marcapasso, clipes cirúrgicos, próteses metálicas devido à interação destes com o campo magnético da ressonância. Porém atualmente, muitos desses materiais já são compatíveis com o campo magnético da RM. Todas essas dúvidas são avaliadas no agendamento do exame.